Acupuntura

A acupuntura é tão antiga, que sua origem se perde no tempo. A técnica consiste na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo, localizados em canais energéticos (meridianos). De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, a acupuntura visa equilibrar as energias Yin e Yang, regular a energia, o sangue, as funções dos órgãos e vísceras e melhorar as defesas do corpo.

A acupuntura funciona basicamente através de estímulos conduzidos ao sistema nervoso, que provocam reações no organismo, como bloqueio da dor, redução de informações entre os diversos neurônios, relaxamento da musculatura em espasmo, estímulo das funções imunológicas e da secreção de hormônios, além do aumento da concentração de neurotransmissores importantes, como endorfina e serotonina.

Woman getting an acupuncture treatment in a spa

Embora seja conhecida para o tratamento de dores, a acupuntura pode tratar muitas doenças, sejam elas físicas ou emocionais, como enxaqueca, depressão, fibromialgia, ansiedade, obesidade, estresse, insônia, hipertensão, doenças respiratórias, distúrbios gastrointestinais, neurológicos e psiquiátricos, auxilia no abandono de vícios entre outros.

Além das agulhas, os pontos de acupuntura podem ser estimulados pela moxabustão, ventosa, laser, semente, esfera, magneto e estimulador elétrico.

A utilização da acupuntura estende-se hoje em tratamentos estéticos, na redução de gordura localizada, celulite, estrias e marcas de expressão.

A maior parte dos pacientes não sente dor durante a sessão de acupuntura (não sente nada ou sente uma dor ligeira, absolutamente suportável). Isso ocorre porque as agulhas são muito finas e sua aplicação segue técnicas especiais. A dor pode ser comparada com uma picada de mosquito – rápida e de pequena intensidade.

A acupuntura possui bastante comprovação científica, oferecendo, portanto, uma segurança na sua eficácia.

Florais de Bach para solidão

Grupo dos Florais de Bach indicados para solidão

Bach separou as essências florais em 7 grupos, de acordo com as emoções e comportamentos: medo, incerteza e insegurança, falta de interesse no presente, solidão, hipersensibilidade a influências e ideias, desalento e desespero e preocupação excessiva com os outros.

O quarto grupo é o das pessoas que sofrem com a solidão e 3 essências pertencem a este grupo: Water Violet, Impatiens e Heather. Conheça melhor cada um deles:

WATER VIOLET

Para pessoas que preferem um estilo de vida mais solitário. Elas não incomodam aos outros e também não gostam de ser importunadas. Guardam seus assuntos para si mesmas e precisam de privacidade. Serenas e reservadas, estas pessoas executam seu trabalho com eficiência e discretamente, mas algumas vezes podem parecer distantes ou orgulhosas e então uma barreira começa a se formar em volta delas. É neste momento que começam a se sentir solitários . O floral Water Violet ajuda a amolecer esta barreira para que elas possam novamente desfrutar da companhia dos amigos.

IMPATIENS

O tipo Impatiens também tendem à solidão, mas porque acham as outras pessoas lentas e preferem trabalhar em seu próprio ritmo. Eles trabalham, falam e se movem muito rapidamente, geralmente com um sentido de urgência e tendem a ser inquietos, terminam as frases dos outros ou se sentem tentados a tirar as coisas das mãos dos outros pela agonia que sentem ao esperar. Isto pode lhes causar muita irritação e tensão, por isso o floral Impatiens ajuda a viverem a vida num ritmo mais relaxado, terem mais paciência com os outros e serem menos apressados em suas atitudes.

HEATHER 

As pessoas Heather, ao contrário do tipo Water Violet, necessitam de companhia o tempo todo e se sente sozinhas se não tiverem com quem conversar. Em tais circunstâncias podem querer qualquer pessoas que lhes dê atenção, tornando-se “chatas”. Acabam sendo evitadas, até que a solidão começa a pesar. Heather ajuda a pessoa desta natureza que ficam muito centradas em si mesmas, a parar de pensar em si mesmas, dar menos importância a seus problemas e serem melhores ouvintes e companheiros.

Chakra Coronário

Sahashara

O sétimo chakra está localizado no alto da cabeça, no topo, aberto para cima com um único vórtice.

As cores deste chakra são o branco, o dourado e o violeta.

Não tem som correspondente, é o silêncio. Sua nota musical é o si.

Corresponde à glândula pineal, que atua no organismo como um todo.

É o centro de ligação entre o plano físico e nosso Eu Interior. Está associado à conexão da pessoa com a sua espiritualidade e à integração de todo o ser físico, emocional, mental e espiritual. Plenitude.

Em desequilíbrio gera falta de inspiração, confusão, neurose, irracionalidade, desorientação, fobias, tristeza relacionada a falta de esperança, alienação, puberdade tardia, visão materialista da existência e não compreensão da espiritualidade. Produz patologias como insônia, enxaqueca, desordens no sistema nervoso, histeria e disfunções sensoriais.

Em equilíbrio a pessoa sente-se fortalecida, com pensamentos claros sobre si e o mundo.

Chakra Frontal

Ajna

Localizado entre as sobrancelhas, o sexto chakra está aberto pela frente, tendo também um vórtice posterior.

Sua cor é o azul índigo.

Seu som é o om e a sua nota musical, o lá.

Corresponde à glândula hipófise, responsável por controlar todo o sistema endócrino.

O chakra frontal é o chakra dos sentidos, responsável pela energia da parte superior da cabeça (acima do nariz), parte craniana, olhos e ouvidos.

Trabalha nossa sabedoria interior. Representa a mente e a intuição.

Quando está desequilibrado a pessoa tem bloqueios mentais, confusão, falta de objetivo, instabilidade, falta de opinião, fanatismo, medo do sobrenatural, falta de iniciativa, pensamentos obsessivos, ganância, arrogância, tirania, rigidez e alienação. Produz patologias tais como: vício em drogas, álcool, compulsões, problemas com visão ou audição.

“Ele não acha seu caminho” resume a condição de um chakra frontal desarmonizado.

Em equilíbrio a pessoa sente-se intuitiva, conectada e mentalmente revigorada, trazendo foco e atenção.