Naturologia no Brasil

Naturologia é orientada pelas áreas de humanas, biológicas e da saúde, tendo como ideal abordar o indivíduo de maneira multidimensional, levando em consideração aspectos físicos, emocionais, mentais, ambientais, culturais, espirituais, sociais.

A proposta de intervenção é desenvolver e ampliar a auto-reflexão, o auto-conhecimento e o auto-cuidado. Para tanto, utiliza-se uma abordagem de educação em saúde que desenvolve o entendimento da co-responsabilidade do indivíduo frente à sua saúde, qualidade de vida e bem-estar. Este profissional trabalha com uma perspectiva do cuidado humanizado, da escuta acolhedora, do desenvolvimento do vínculo terapêutico e preconiza a autonomia do sujeito.

O Naturólogo utiliza diversas práticas integrativas e complementares, tais como aromaterapia, fitoterapia, florais, massoterapia, geoterapia, hidroterapia, meditação, arteterapia, trofoterapia, reflexologia, entre outras, visando à promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como à melhoria da qualidade de vida.

A Naturologia é uma profissão recente no Brasil, em 1998 surgiu o primeiro curso de graduação de Naturologia no Brasil, na UNISUL – Universidade do Sul de Santa Catarina – Florianópolis, com o objetivo de fundamentar e aprimorar o uso e o estudo dos tratamentos tradicionais, complementares e integrativos que, até o momento, englobavam um grupo disperso, em resposta à crescente procura por tais práticas. E em 2002 a Universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo, criou o segundo curso de Naturologia.

Os locais de atuação deste profissional são diversificadas: clínicas multiprofissionais, clínicas de estética, spas, estâncias hidrominerais, ONGs, Centro de Atenção Psicossocial – CAPS, policlínicas e hospitais. Também trabalha com atividades de educação em saúde e vivências relacionadas às práticas integrativas e complementares visando a promoção da saúde e a integração social.

Sete cidades brasileiras possuem serviços de saúde com naturólogos concursados, segundo levantamento realizado em janeiro de 2013 pelo naturólogo Bruno Werneck, sendo três cidades no estado de Santa Catarina (São Joaquim, Ermo e Laguna), duas cidades em São Paulo (Registro e Santa Gertrudes), uma no Rio de Janeiro (Macaé) e uma em Rondônia (Vilhena).

Segundo o levantamento realizado por Conceição e Rodrigues em 2011, estima-se que haja 2.000 Naturólogos formados no Brasil e cerca de 500 acadêmicos universitários ou graduandos de Naturologia. Os resultados demonstraram que a maioria destes profissionais (82,4%) está atuando diretamente com a Naturologia. O setor privado é o que possui o maior número de Naturólogos (94,7%), sendo os consultórios o local de maior atuação, conforme 51,8% dos pesquisados relataram.Entre os pesquisados, 77% declararam possuir algum tipo de formação profissional além da graduação em Naturologia, tendo destaque a especialização lato-sensu, referida por 72% dos participantes. Ainda segundo a pesquisa, 7,1% possuem mestrado e 1,6%, doutorado, enquanto nenhum dos participantes havia concluído o pós-doutorado.

Em março de 2013 foi realizada uma pesquisa de mapeamento dos naturólogos no Brasil, com o objetivo de descrever características demográficas, sociais e profissionais do profissional. A amostra da pesquisa foi constituída por 457 participantes, sendo eles graduados ou graduandos em Naturologia. Observa-se também que dos 457 participantes, 329 (72%) são Naturólogos já formados e os demais 128 (28%) estarão formados de 2013 até 2017. Foi considerado 5% de erro amostral nesta pesquisa. Observou-se uma maior concentração de Naturólogos em São Paulo (56,6%) e Santa Catarina (28,5%).Com relação a especialização, a maior prevalência é de especialização em acupuntura (20,4%), 3,9% fazem ou fizeram mestrado e 1,3% fazem ou fizeram doutorado. De acordo com a pesquisa, 73,5% dos formados atuam na área de formação em Naturologia, observa-se também que a grande maioria destes Naturólogos (76,8%) atuam de forma autônoma no mercado. Os locais de atuação que mais se destacaram foram os de atendimento em consultórios (33,3%), atendimentos domiciliares (18%), clínicas multidisciplinares (10,8%).

Os profissionais formados e os estudantes de Naturologia hoje têm suporte de duas associações, a ABRANA – Associação Brasileira de Naturologia, fundada em 2004 e a APANAT – Associação Paulista de Naturologia, fundada em 2007.

As associações de Naturologia estão trabalhando para regulamentar a profissão de naturólogo. A profissão recebeu no dia 09/02/2015 o reconhecimento da profissão no Ministério do Trabalho, através da Classificação Brasileira de Ocupações – CBO – sob nº de registro 2263-20, o que significa uma grande conquista, pois garante ao profissional naturólogo maior visibilidade, carteira de trabalho assinada, direitos e deveres definidos como seguro, previdência, piso salarial, acesso a editais de concursos, dentre outros.

Em 26 de março de 2012, as Associações entregaram o Projeto de Lei para a Regulamentação da Profissão de Naturólogo ao Deputado Federal Giovani Cherini e em 03 de maio de 2012, foi apresentado, na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 3804/2012, de autoria doDeputado Giovani Cherini (PDT–RS) que regulamenta a profissão de Naturólogo e lista a definição da atividade bem como as suas competências. Determina as condições para o exercício profissional: os possuidores de diploma de nível superior (Bacharelado) de Naturologia, expedido por instituição autorizada e reconhecida pelo governo federal. A iniciativa é justificada pela necessidade de regular a prática profissional e qualidade na formação daqueles que praticam a Naturologia, notoriamente benéfica à saúde humana, quando suas práticas são aplicadas por profissional capacitado, várias das quais, inclusive, reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde, que as admite e estimula nos sistemas de saúde, de forma integrada às técnicas modernas da medicina convencional. O PL 3804/2012 teve parecer favorável do relator na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) e por enquanto permanece nesta comissão até a aprovação da mesma, quando então passará pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP); se aprovado, passará pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). Após este processo, o Projeto de Lei será votado na Câmara dos Deputados.

Além disso, em 21 de novembro de 2012, foi protocolado um ofício o qual solicitava ao Conselho Nacional de Saúde (CNS) a inserção/incorporação do Naturólogo como profissional da saúde (hoje são apenas 14 profissões listadas pelo CNS).

Leia mais em:

CONCEIÇÃO SS, RODRIGUES DMO. A situação socioeconômica e profissional dos naturólogos no Brasil,. Cadernos Acadêmicos. 2011. Jan-Jul 3(1): 103-120.

FREITAS DL, RODRIGUES DMO, CERRATI C, PLACERES F, SABBAG S. A situação profissional dos naturólogos no Brasil. ABRANA e APANAT. 2013.

RODRIGUES DMO. O naturólogo: as Práticas Integrativas e Complementares e a Qualidade de Vida. In: MARTINS RS, HAGEN SA. (Org.). Ame suas rugas: aproveite o momento. Blumenau: Odorizzi; 2007. p. 43-55.

RODRIGUES DMO, HELLMANN F, SANCHES NMP. Apresentação. In: Anais V Congresso brasileiro de naturologia. III Fórum conceitual de Naturologia; 2012 out;    Florianópolis(Br): ABRANA; 2012. p. 9.

SABBAG SHF, NOGUEIRA BMR, CALLIS ALL, LEITE-MOR ACMB, PORTELLA CFS, ANTÔNIO RL, PLACERES F, RODRIGUES DMO. A Naturologia no Brasil: avansos e desafios. Cad. Naturol. Terap. Complem – Vol.2, N°2-2013. p.12-32.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s