Óleo Essencial de Lavanda

imagesA lavanda é calmante, equilibradora das emoções (ou seja, acalma e anima, regulando o sistema nervoso), é antiinflamatória e cicatrizante.

Dentre as muitas propriedades do óleo essencial de lavanda, a mais célebre é a sua ação curativa sobre as queimaduras.

Ela também é excelente contra dores de cabeça, sobretudo quando usada no início da dor.

Esse óleo essencial tão popular é encontrado na maioria dos produtos aromaterápicos para pele, por causa de sua propriedade equilibrante, que beneficia tanto a pele seca quanto oleosa, fazendo com que a pele retome sua normalidade.

Para casos de insônia, por exemplo, é aconselhável pingar uma gota do óleo essencial de lavanda no travesseiro, e o aroma ajudará a equilibrar e a restaurar o sono.

Em casos de queimaduras, feridas, furúnculos e outros problemas associados à pele, deve-se pingar o óleo essencial diretamente na pele, ajudando a restaurar o equilíbrio da mesma.

Já em casos de estresse, ansiedade e desânimo, pode-se pingar uma gotinha do óleo essencial nas têmporas, ou pulsos, e o aroma ajudará a restabelecer as emoções, de forma suave, a fim de recuperar a saúde emocional.

A melhor lavanda do mundo é a francesa. Ao contrário do que muita gente pensa, as maravilhosas flores roxas que predominam as partes mais baixas da França não são da lavanda propriamente dita. Na verdade, essas flores são da lavandinha (Lavandula X intermedia), que resulta de um cruzamento entre a lavanda verdadeira (Lavandula angustifolia) e a Lavandula spica; além de essa última possuir um aroma mais próximo da cânfora, ela é bem maior e produz também uma quantidade maior de óleo essencial. E digo isso porque alguns óleos disponíveis no mercado são de lavandinha; portanto, se você quiser a lavanda verdadeira, verifique o rótulo e veja se está escrito Lavandula angustifolia.

Fonte: PRICE, S. Aromaterapia e as emoções: como usar óleos essenciais para equilibrar o corpo e a mente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. 322p.

Banhos especiais com óleos essenciais

Se você adora um banho especial, mas não tem banheira – ou tempo para um banho de imersão, experimente no chuveiro mesmo os benefícios dos óleos essenciais!

Se você quer um BANHO ESTIMULANTE, para a manhã ou o fim da tarde, quando quiser ganhar pique para um programa noturno:

A água deve ser morna, entre 36 e 37º C.

Em um recipiente, dilua em 1 colher (sopa) de óleo vegetal de semente de uva 1 gota de cada dos óleos essenciais de alecrim e hortelã-pimenta.

Acrescente a mistura de óleos em uma bucha vegetal. Friccione o corpo todo com a bucha. Se quiser, finalize com uma chuveirada de água fresca.

O óleo essencial de hortelã-pimenta revigora o corpo e estimula a mente. Combate dores de cabeça e cansaço.

O alecrim é revigorante, estimula a circulação e elimina o cansaço. Utilize quando precisar de um empurrãozinho extra.

Bathing-in-warm-water.jpg

Se você precisa de um BANHO RELAXANTE, para hora de dormir:

Use água quente, entre 38 e 39º C.

Dilua em 1 colher (sopa) de óleo vegetal de semente de uva 1 gota dos óleos essenciais de lavanda e ylang-ylang.

Não use bucha – espalhe essa mistura com as mãos fazendo uma auto-massagem no corpo.

Termine o ritual banhando o corpo com 1 litro de água morna com 1 colher (sopa) de sal grosso.

Lavanda equilibra o físico, o mental e o emocional. Indicada para insônia e estresse, é ideal após um dia cansativo.

O óleo essencial de ylang-ylang é relaxante. Útil para acalmar tensões, ansiedade e irritabilidade, além de diminui a pressão arterial.

Lembre-se de diluir os óleos essenciais. Eles não devem ser usados diretamente sobre a pele.

Óleo essencial de Eucalipto para Problemas Respiratórios

O inverno está aí!

É tempo de chocolate quente, chás quentinhos, sopinhas, assistir à filmes embaixo das cobertas e mais um monte de delícias… mas nessa época do ano também há um aumento de casos de problemas respiratórios, como gripes, resfriados, sinusites… diante desses problemas, vale a pena conhecer o poderoso óleo essencial de Eucalipto (Eucalyptus globulus).

Facilmente reconhecido pelo seu aroma, que lembra a cânfora, o eucalipto é um remédio clássico para os problemas respiratórios e integra muitos produtos comerciais para resfriados e congestões nasais. Também é usado para mal-estares peitorais, problemas musculares e para purificar o ar.

Original da Austrália, a árvore foi introduzida na Europa no final do século XVIII e destilada comercialmente nos anos 1850.

Propriedades terapêuticas: tradicionalmente, os aborígenes australianos cobriam feridas com folhas de eucalipto para apressar a cura. Pesquisas recentes confirmam que o óleo tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, e pode reduzir inchaços e acelerar a cura.

Dores e indisposições: o óleo de eucalipto parece esfriar a pele, mas aquece os músculos; para dor nas costas (rigidez e dores na região lombar, ombros e pescoço) uma massagem com óleo essencial de eucalipto pode trazer muitos benefícios e bem-estar.

Problemas respiratórios: o principal constituinte do óleo essencial de eucalipto, o cineol, é responsável por seus poderosos efeitos anti-séptico, antivirótico e expectorante. Use-o diluído em água nos difusores aromáticos, assim o aroma do eucalipto espalha-se no ambiente, e penetra no organismo por via aérea; ou em massagens, como citado acima, principalmente na região das costas e peitoral – o aroma forte relaxa o peito e pode aliviar a congestão.

Alergias e infecções: o eucalipto possui propriedades antibacterianas, é um bom agente antivirótico e estimula o sistema imunológico. Quando usado em difusores aromáticos, ou vaporizadores, o oléo essencial reduz micróbios no ar.

Contra-indicações: não é indicado o uso de eucalipto por pessoas asmáticas e por pessoas que fazem qualquer tratamento com homeopatia.

Fonte: MAXWELL-HUDSON, C. Aromaterapia & Massagem. São Paulo: Vitória Régia, 2000.

O Poder dos Óleos Essenciais

Óleos essenciais são substâncias presentes nas plantas (em folhas, flores, sementes, raízes, lenha e cascas) responsáveis pelos odores que nelas encontramos e se formam por razões metabólicas ligadas à sua reprodução e proteção. Milhares de plantas possuem óleos essenciais, são plantas de cheiro forte e característico, como Eucalipto, Manjericão, Citronela, Canela, Cravo, Lavanda, Hortelã entre outras.

Os óleos essenciais são extraídos das plantas normalmente por arraste à vapor ou expressão. O rendimento dos óleos essenciais às vezes pode ser muito baixo, portanto os custos dos óleos variam muito em função do método de extração e da quantidade de óleo essencial extraída. Para se obter um litro de óleo essencial são necessárias centenas de quilos de plantas.

Os óleos essenciais são voláteis e não possuem a viscosidade de óleo, portanto não deslizam diretamente sobre a pele. São a forma de energia vegetal mais concentrada que existe e por serem altamente concentrados devem ser diluídos em óleos vegetais, como óleo de Semente de Uva, Amêndoas, Germe de Trigo ou outros.

aromaterapia-para-emagrecer

A aromaterapia é a terapia através dos óleos essenciais. É uma ferramenta poderosa, além de prazerosa, para a manutenção da saúde e bem-estar. Os óleos essenciais podem ser aplicados em centenas de finalidades terapêuticas e cosméticas, como: antiespasmódicos, antiinflamatórios, analgésicos, antimicrobianos, calmantes, antidepressivos, tônicos, entre outras finalidades.

Quando aplicados na pele, os óleos essenciais entram pelos poros e vão para os vasos sanguíneos que irrigam a derme. Depois seguem para a corrente sanguínea, o sistema linfático, os músculos e os órgãos.

Quando o óleo essencial é inalado, o cheiro entra no nariz e as células olfativas captam as moléculas aromáticas por meio dos cílios, enviando impulsos nervosos para o sistema límbico. Quando os impulsos chegam, o sistema límbico, uma espécie de arquivo de cheiros e sensações, reconhece as moléculas aromáticas e as identifica. É por isso que certos cheiros afetam nosso humor e desperta lembranças. O sistema límbico passa a informação sobre o aroma para o hipotálamo, que a repassa para a hipófise. Daí, essa informação vai para as outras glândulas e influência a atividade imunológica, o batimento cardíaco, a produção de enzimas e hormônios.

As moléculas aromáticas que entram pelo nariz também seguem pelas vias respiratórias até o pulmão. Nos alvéolos ocorrem as trocas gasosas. De lá, as moléculas vão para o sangue junto com o oxigênio.