A CURA VEM DE DENTRO: UMA VISÃO INTEGRATIVA DA SAÚDE

A frase “o corpo fala” faz sentido pra você? Provavelmente já ouviu muito ela por aí.

Mas o que isso quer dizer?

Podemos analisar essa questão em dois campos bem interessantes: um mais relacionado à comunicação, e outro à saúde. Em se tratando de comunicação, o corpo se expressa através de nossos gestos e expressões faciais (conhecida como comunicação não-verbal) muito mais do que pelas nossas palavras (comunicação verbal). Em porcentagem, estima-se que 93% compreende a não-verbal. Ou seja, estamos o tempo todo transmitindo o que estamos pensando ou querendo ao nosso meio exterior pelo nosso corpo, mesmo que inconscientemente não saibamos disso, ou não falemos nada.

Sabe aquela história: “eu falo uma coisa e faço outra”? Explica bem o que está sendo abordado nesse assunto. Expressar-se em palavras pode ser muito difícil para muitos, por certos traumas, medos, timidez, entre outros. Então, para se proteger, a mente bloqueia algumas falas de serem ditas, e a pessoa acaba guardando aquilo para si. Contudo, o corpo não tem a manipulação da mente. Se algo que sentimos ou queremos dizer fica muito em conflito com nossas ações, o corpo pode expressar-se (com gestos e expressões) de maneira contraditória, gerando uma dupla mensagem em uma conversa importante, por exemplo, gerando situações desagradáveis. Várias questões complicadas e tensas poderiam ser resolvidas com um diálogo mais claro e verdadeiro, por isso é de extrema importância que conheçamos o nosso eu interior, nossos reais desejos e opiniões, aceitando o que vem de dentro para que possamos expressar por meio de palavras de modo mais coerente com quem realmente somos, e gerar relações mais saudáveis.

Além do nosso corpo por gestos muitas vezes expressar o que está no nosso subconsciente, ele também se expressa por meio de sintomas, e é nesse ponto que quero chegar quando escrevi no título: a cura vem de dentro. A palavra somatização também vem sendo difundida por ai, mas aqui quero descrever através de algumas teorias, como nosso organismo responde de fato a uma emoção, levando-o por fim a adoecer.

Primeiramente, somatização se refere a uma ou várias queixas físicas que, em sua investigação diagnóstica, não se encontra uma causa aparente. E isso não quer dizer que a doença “é da cabeça da pessoa”, ou seja, que esses sintomas somatizados são loucura ou frescura de quem os manifesta. O que acontece é que quando chega a nível físico, já existe algum desequilíbrio orgânico e o indivíduo não se sente bem, já atingiu níveis biológicos.

Mas como então um trauma ou emoção negativa pode levar a um transtorno físico? Aqui entra uma das teorias que mais explicam esses efeitos dentro dos meus estudos: A medicina germânica. Esse trabalho foi desenvolvido pelo médico oncologista Dr. Hamer. Após perder o filho subitamente em uma morte trágica, ele apresentou um câncer no testículo que o deixou intrigado. Devido ao fato, ele começou a estudar todos os seus pacientes que teriam passado por um conflito de perda e analisar suas tomografias, para ver no cérebro onde esse foco se desenvolvia. Com isso, resumidamente, chegou-se a teoria da tríade: Psique – cérebro – órgão. Explicando melhor como, por exemplo, uma perda dessas que o médico passou, influenciou para que desenvolvesse o câncer.

Vamos tomar por exemplo esse sentimento de perda. É uma sensação primitiva que nosso corpo cria.

No campo ‘psique’ temos então a perda. Como é primária, ela vai se comunicar com a região mais arcaica do nosso cérebro: o tronco cerebral, associado a situações de sobrevivência. Logo, a resposta se dará por meio dessa região cerebral, entrando no campo ‘cérebro’. Por fim, essa resposta tem que se manifestar em alguma região orgânica. Então, pela lógica dos fatos, atingirá um órgão primitivo, como no caso dele, os testículos, associados ao câncer.

Assim sendo, de acordo como percebemos uma situação, teremos uma emoção diferente. Se não a elaboramos muito bem, há toda uma resposta interligada para que chegue a efetivamente gerar um sintoma. Eis aqui a somatização vista por uma perspectiva mais biológica.

O que quero dizer com tudo isso, incluindo os estudos de comunicação não verbal e a parte da saúde integral é que, se não nos cuidamos de dentro para fora, estamos apenas tampando o sol com a peneira. Tratar a consequência pode aliviar o sintoma (e muitas vezes se busca apenas a parte medicamentosa, pois queremos alívio imediato), mas não muda a causa. O sintoma pode cessar, mas ele tende a se repetir, e os sentimentos sórdidos que estão lá no seu mais profundo ser e que te assolam, continuarão lá.

Por meio do autoconhecimento, temos acesso às nossas informações mais primordiais e aprendemos a lidar com nossas sombras, nos libertando de fardos, padrões e situações que nos fazem mal, melhorando de forma diretamente proporcional a nossa saúde.

A Microfisioterapia, a Constelação Familiar, o Reiki, dentre outras técnicas integrativas, busca, até juntamente aos medicamentos, tratar a causa, trazer o que precisa ser resolvido à tona e solucionar, considerando os níveis psíquico, biológico e emocional do ser humano!

Busque se conhecer, se cuidar, ir além! A cura vem de dentro!

Por Gabriella Moraes de Oliveira

Fisioterapeuta pela USP Ribeirão Preto

Microfisioterapia, Constelação Familiar Individual e Desenvolvimento Humano

Anúncios

Tise

TISE: a Terapia da Alma (Terapia de Integração Sômato-Emocional) é recente e revolucionária, desenvolvida pelo Prof. Roberto Delorenzi no começo deste milênio na Suíça. É o resultado de mais de 20 anos de estudos e experiências, onde várias técnicas como a crânio-sacral, cinesiologia, shiatsu, medicina tradicional chinesa e outras, se integram com toda a bagagem do seu idealizador.

O ser humano é considerado um pequeno universo, formado pelos corpos físico, mental, emocional, energético e a Alma. Não podemos pensar em ajudar uma pessoa tratando somente seu corpo físico sem considerar sua emoção, mente e espírito. A Tise trata o ser humano na sua totalidade, ajudando-o na raiz do problema e não só aliviando os sintomas.

No corpo estão gravadas todas as informações de experiência vividas pela pessoa, o que determina seu estado de saúde físico, mental e emocional. Com a leitura dos campos energéticos, se abre um diálogo com a Alma da pessoa, a única que conhece na totalidade todos os outros corpos.

Durante uma sessão da TISE o paciente geralmente fica deitado de costas e completamente vestido. Por meio de toques suaves com as mãos, o terapeuta pode avaliar e estimular o corpo físico e energético, atuando para restabelecer o equilíbrio em todos os níveis. O profissional que aplica a técnica segue o que o corpo indica, tratando o indivíduo de forma integral, com toques delicados e também com o diálogo. O tratamento é somente uma ajuda para o corpo ativar os processos naturais de autocura.

Trata-se de uma ferramenta maravilhosa e  revolucionária que está à disposição de qualquer pessoa, seja paciente, terapeuta ou profissional da saúde.

Pode ser utilizada como ferramenta única ou integrada a outros tratamentos.

Assim como em outras terapias, a Tise é um instrumento de ajuda para as pessoas que estão em busca de cura e de felicidade.

A Tise tem sido usada com sucesso na ajuda de dores articulares, dores de cabeça, fibromialgia, problemas do sistema imunológico, problemas hormonais, hiperatividade, TPM, problemas emocionais, estresse, ansiedade, depressão, crise de pânico, alergias e muitos outros.

“A TISE não é somente uma ferramenta de trabalho para tratar a parte física e emocional, mas ela atua também na parte espiritual, no autoconhecimento, na introspecção e na conscientização, para ajudar as pessoas a serem felizes na profundidade do coração.” (Roberto Delorenzi)

Gostou? Conheça mais no site www.manipura.com.br

Reiki

Reiki é um sistema natural de harmonização e reposição energética que mantém ou recupera a saúde. O Reiki é um sistema próprio para despertar o poder que habita dentro de nós, captando, modificando e potencializando energia.

De origem japonesa, seu nome identifica o Sistema Usui de Cura Natural (Usui Reiki Ryoho), em homenagem ao seu descobridor, Mikao  Usui.

Rei significa universal e refere-se ao aspecto espiritual, à essência energética cósmica que permeia todas as coisas e circunda tudo quanto existe. Ki é a energia vital individual que flui em todos os organismos vivos e os mantém. Quando a energia ki sai de um corpo, ela deixa de ter vida. O Reiki é um processo de encontro dessas duas energias, a Energia Universal e a nossa energia física.

É um método que controla ansiedade e estresse, ativa o sistema imunológico, bom para eliminar vícios e compulsões, comportamentos e atitudes que queremos modificar. Funciona como instrumento de transformação de energias nocivas em benéficas.

O Reiki é uma terapia complementar, pode ser usada em qualquer tratamento médico convencional ou homeopático e também junto à acupuntura, massoterapia ou qualquer outro tratamento. Age em todo o Ser e trabalha em todos os corpos: físico, mental, emocional e energético.

A energia Reiki é uma das maiores forças deste planeta para a evolução das pessoas, um caminho de harmonização interior com o Universo. É uma energia confortadora, vinda de Deus, do Criador. Vem do macrocosmo para o microcosmo.

O Reiki eleva sua consciência, traz alegria, felicidade, prosperidade, bem estar e recupera e mantém a saúde.

Reiki-112802441

Dry Needling

Dry Needling (Agulhamento Seco) tem como principal objetivo o alívio da dor miofascial através da desativação dos pontos gatilho miofasciais. Há diversos estudos fornecendo evidências que o Agulhamento Seco é mais eficaz para o alívio da dor que outras técnicas, incluindo aplicação de anestésicos locais.

Consiste na inserção e manipulação repetida de uma agulha fina e flexível em pontos gatilhos para produzir uma resposta de espasmo local, ou seja a agulha é aplicada no local da dor, provocando relaxamento muscular.

Ponto gatilho é um ponto com hiperirritabilidade e hiperatividade no músculo esquelético que está associado com um nódulo palpável hipersensível. Esta área se torna dolorosa no local e também pode irradiar em padrões previsíveis.

Inicialmente o Dry Needling foi utilizado unicamente no tratamento de pontos gatilho, no entanto considerando os mais recentes estudos se observa que existem resultados consistentes no controle da dor musculoesquelética, não somente miofascial.

acupuncture backPara a aplicação da técnica são utilizadas as mesmas agulhas da Acupuntura, mas existem diferenças entre as duas técnicas, sendo que o Dry Needling não pode ser considerado Acupuntura.

No Dry Needling a agulha é inserida em pontos gatilhos, para tratamento de dor miofascial. A redução da dor se dá pela inativação dos pontos gatilho. Já na Acupuntura são utilizados pontos de energia encontrados nos meridianos para diversas condições patológicas, incluindo viscerais e sistêmicas. O alívio de dor na Acupuntura ocorre através da liberação de endorfinas e equilíbrio das energias. Para aplicação da Acupuntura é essencial o curso de formação, já que envolve conceitos específicos da Medicina Tradicional Chinesa.

Considerado um procedimento seguro, o Dry Needling é um excelente recurso na diminuição e até mesmo na cura de dores musculares, podendo ser aplicado em combinações com outras terapias ou mesmo como uma terapia isolada e única.

Drenagem Linfática

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que estimula o sistema linfático e tem por objetivo eliminar o excesso de líquidos e toxinas do organismo, por meio de movimentos específicos.

O método que reduz a retenção de líquidos é capaz de combater a celulite, regenerar os tecidos, melhorar o sistema imunológico e a oxigenação sanguínea, sem falar que é altamente relaxante, ou seja, benefícios não faltam.

Indicada em casos de edema, varizes sem complicações, celulite, cansaço em membros inferiores, hematomas e cicatrização.

A drenagem linfática é normalmente recomendada por médicos durante a gestação e em cuidados pré e pós-operatório de cirurgias plásticas.

DRENAGEM.jpg

Efeitos da drenagem linfática:

  • Aumento da capacidade de admissão dos capilares linfáticos,
  • Aumento da velocidade da linfa transportada,
  • Aumento da quantidade de linfa filtrada, processada pelos linfonodos,
  • Aumento da oxigenação e desintoxicação da musculatura esquelética,
  • Aumento do peristaltismo intestinal,
  • Aumento da diurese,
  • Otimização das imunorreações celulares,
  • Diminuição das aderências e retrações cicatriciais,
  • Mais eficiência celular,
  • Mais eficiência na nutrição dos tecidos.

A drenagem linfática pode ser contra-indicada em casos de insuficiência cardíaca, insuficiência renal crônica, hipertensão, resposta inflamatória crônica, câncer, tromboflebite, hipertireoidismo e gestação de alto risco.