Banhos especiais com óleos essenciais

Se você adora um banho especial, mas não tem banheira – ou tempo para um banho de imersão, experimente no chuveiro mesmo os benefícios dos óleos essenciais!

Se você quer um BANHO ESTIMULANTE, para a manhã ou o fim da tarde, quando quiser ganhar pique para um programa noturno:

A água deve ser morna, entre 36 e 37º C.

Em um recipiente, dilua em 1 colher (sopa) de óleo vegetal de semente de uva 1 gota de cada dos óleos essenciais de alecrim e hortelã-pimenta.

Acrescente a mistura de óleos em uma bucha vegetal. Friccione o corpo todo com a bucha. Se quiser, finalize com uma chuveirada de água fresca.

O óleo essencial de hortelã-pimenta revigora o corpo e estimula a mente. Combate dores de cabeça e cansaço.

O alecrim é revigorante, estimula a circulação e elimina o cansaço. Utilize quando precisar de um empurrãozinho extra.

Bathing-in-warm-water.jpg

Se você precisa de um BANHO RELAXANTE, para hora de dormir:

Use água quente, entre 38 e 39º C.

Dilua em 1 colher (sopa) de óleo vegetal de semente de uva 1 gota dos óleos essenciais de lavanda e ylang-ylang.

Não use bucha – espalhe essa mistura com as mãos fazendo uma auto-massagem no corpo.

Termine o ritual banhando o corpo com 1 litro de água morna com 1 colher (sopa) de sal grosso.

Lavanda equilibra o físico, o mental e o emocional. Indicada para insônia e estresse, é ideal após um dia cansativo.

O óleo essencial de ylang-ylang é relaxante. Útil para acalmar tensões, ansiedade e irritabilidade, além de diminui a pressão arterial.

Lembre-se de diluir os óleos essenciais. Eles não devem ser usados diretamente sobre a pele.

Anúncios

Hidroterapia

A hidroterapia é um tipo de tratamento que utiliza a água, em qualquer uma das suas formas (sólida, líquida ou gasosa) para promoção da saúde. Pode ser utilizada interna ou externamente, dependendo dos objetivos esperados:

Através da hidroterapia é possível relaxar ou tonificar o organismo, equilibrar o sistema circulatório, melhorar a digestão, estimular o sistema imunológico, diminuir a sensação de dor, auxiliar na desintoxicação do organismo, entre outros benefícios. É indicada como tratamento complementar de diversas doenças: cólicas menstruais, pressão alta ou baixa, insônia, constipação intestinal, dor de garganta, dor nas costas, problemas respiratórios, entre outras.

O uso interno se dá através da ingestão de águas naturais de composições específicas. O Brasil é considerado um dos países mais ricos em fontes hídricas e conta com diversas estâncias hidrominerais, onde se encontram fontes com diferentes indicações terapêuticas. Outra forma de uso interno da água é através de clisteres, para limpeza intestinal.

O uso externo pode ser subdividido em três tipos: o primeiro compreende banhos completos ou parciais, duchas, vapores, pachos, além de compressas; o segundo tipo é praticado dentro de piscinas, através de exercícios específicos e o terceiro é a talassoterapia que utiliza a água do mar e seus elementos.

Nos tratamentos com duchas, banhos e compressas a água pode ser fria, morna ou quente, de acordo com as indicações específicas.  Sua aplicação pode ser localizada ou no corpo inteiro e o tempo de aplicação é fundamental para se obter os resultados esperados.

Vale ressaltar que o próprio banho que tomamos diariamente já é uma forma de hidroterapia – a água fria, por exemplo, tonifica e estimula o organismo; a água quente, é relaxante.

Hidroterapia

A hidroterapia utiliza a água, em qualquer uma das suas formas (sólida, líquida ou gasosa) para promoção da saúde.

Pode ser utilizada interna ou externamente, dependendo dos objetivos esperados:

O uso interno se dá através da ingestão de águas naturais de composições específicas. O Brasil é considerado um dos países mais ricos em fontes hídricas e conta com diversas estâncias hidrominerais, onde se encontram fontes com diferentes indicações terapêuticas. Outra forma de uso interno da água é através de clisteres, para limpeza intestinal.

O uso externo pode ser subdividido em três tipos: o primeiro compreende banhos completos ou parciais, duchas, vapores, pachos, além de compressas; o segundo tipo é praticado dentro de piscinas, através de exercícios específicos e o terceiro é a talassoterapia que utiliza a água do mar e seus elementos.

Vale ressaltar que o próprio banho que tomamos diariamente já é uma forma de hidroterapia – a água fria, por exemplo, tonifica e estimula o organismo; a água quente, é relaxante.

Nos tratamentos com duchas, banhos e compressas a água pode ser fria, morna ou quente, de acordo com as indicações específicas.  O tempo de aplicação é fundamental para se obter os resultados esperados. Sua aplicação pode ser localizada ou no corpo inteiro.

Através da hidroterapia é possível relaxar ou tonificar o organismo, equilibrar o sistema circulatório, melhorar a digestão, estimular o sistema imunológico, diminuir a sensação de dor, auxiliar na desintoxicação do organismo, entre outros benefícios.

A hidroterapia é indicada como tratamento complementar de diversas doenças: cólicas menstruais, pressão alta ou baixa, insônia, constipação intestinal, dor de garganta, dor nas costas, problemas respiratórios, entre outras.