Liberação Miofascial

A liberação miofascial surgiu há mais de cem anos como ciência que estuda todo tecido conjuntivo de proteção, sustentação e metabolismo da estrutura humana. Cada músculo, órgão, víscera, vaso sanguíneo, como também o encéfalo e a medula são envolvidos por esse tecido. Ele forma, portanto, uma unidade funcional e estrutural no corpo humano, sendo anatomicamente inseparável.

Funcionando como uma unidade global, sua ação é sistêmica, havendo uma interdependência e uma inter-relação harmoniosa de todo o conjunto para que o corpo humano possa desempenhar adequadamente seu papel dentro do sistema imunológico e glandular, além de ter um bom retorno venoso.

Por ser uma unidade global, se as fascias sofrerem interferências (rigidez ou flacidez) em excesso sua função não será plena. Assim, a tensão exagerada em uma parte do corpo irá repercutir no corpo todo, alterando as funções do sistema nervoso, vascular, glandular e muscular, ocasionando falsas dores (locais de dor onde a origem se encontra distante deles) e também falsos edemas de mãos e pés, sobre os quais os exames vasculares nada podem comprovar porque a causa é a rigidez das fascias, que impede o retorno venoso, causa falsas gastrites, insônias, hipertensões arteriais infundadas, dores de cabeça por rigidez do pescoço, irritabilidade, hiper atividade e ansiedade, levando o paciente a perambular por consultórios sem que ache a causa real.

Entenda como funciona a liberação miofascial

Primeiramente, o paciente passar por um exame palpatório, em que se detectada a rigidez e diagnostica o que precisa ser tratado. Em seguida, é feito um histórico desde o nascimento até a vida adulta da pessoa, levando em conta a hereditariedade, os hábitos diários, as emoções mais freqüentes, as queixas atuais e os traumatismos sofridos, como fraturas, quedas, torções, cirurgias e alimentação.

O tratamento é realizado por meio de uma terapia manual suave, respeitando os limites do paciente, o que torna a terapia muito agradável e relaxante.

Pode-se agir em todas as fascias através da técnica: medula, meninges, coração, pulmão, vísceras abdominais, músculos, sistema glandular, circulação sanguínea e linfática.

Indicações

Dores de qualquer origem em estágio agudo ou crônico, insônia, gastrite, ansiedade, síndromes psíquicas, hipertensão arterial, diabetes, dores de cabeça, obesidade, drenagem linfática, hiper atividade, irritabilidade, concentração etc., podendo ser aplicada desde o nascimento até a velhice, não havendo restrições para aplicação da técnica.