Aromaterapia

Aromaterapia é o uso terapêutico dos óleos essenciais para prevenção e tratamento dos sintomas físicos, mentais e emocionais.

Óleos essenciais são substâncias naturais presentes nas plantas, responsáveis pelos seus odores aromáticos. São extraídos através de destilação à vapor ou extração à frio, de diversas partes, como folhas, flores, caules, sementes, raízes ou cascas. Milhares de plantas possuem óleos essenciais, são plantas de cheiro forte e característico como Alho, Orégano, Manjericão, Eucalipto, Citronela, Lavanda, Menta, etc.

São altamente concentrados, voláteis e  100% puros. São ricos em diversos componentes químicos e penetram no organismo através da pele, do sistema olfativo e do sistema respiratório proporcionando inúmeros benefícios terapêuticos.

Óleos essenciais não possuem a viscosidade de óleo e não deslizam quando aplicados diretamente sobre a pele. Devem ser aplicados sempre diluídos em óleos vegetais ou bases neutras cosméticas. Podem ser usados também em banhos de imersão, inalações, escalda-pés, compressas, aromatização de ambientes entre outros e possuem diversas propriedades terapêuticas, como analgésico, relaxante, imunoestimulante, expectorante, digestivo, diurético, antidepressivo, cicatrizante, antisséptico, etc.

resultados-da-pesquisa-de-imagens-do-google-para-http-www-orientimport-fi-content-images-category-3-jpg_1278014501228

Para garantir as propriedades terapêuticas do seu óleo essencial é importante estar de olho em alguns detalhes na hora de comprar.

Desconfie de óleos essenciais muito baratos! Saiba que essência ou aromatizantes são diferentes de óleos essenciais.

Normalmente as essências possuem um preço fixo que varia entre R$5,00 e R$10,00 o frasco com 10ml, independente de qual essência está sendo vendida. Já os óleos essenciais possuem preços que vão de R$9,00 para um frasco de óleo de laranja com 10ml até mais de R$500,00 por um frasco de óleo de rosas que pode conter menos do que 10ml.

O que explica essa brusca diferença de preço é o fato de que para se obter óleos essenciais necessitamos de mecanismos diferentes para cada tipo de planta e muitas vezes toneladas dessa planta produzem apenas alguns litros do óleo dela.

Óleos essenciais devem ser 100% puros e naturais. Essências são imitações sintéticas dos compostos encontrados naturalmente nos óleos essenciais, mas não possuem efeitos terapêuticos e podem causar sensibilidade e irritação na pele. Se o óleo essencial não for puro, de uma marca conceituada e que garante sua origem, não traz benefícios.

Óleos Essenciais

Essências

Naturais

Sintéticos

Possuem efeitos terapêuticos

Não possuem efeitos terapêuticos

100% puros e naturais

Misturados com óleos minerais ou outras substâncias

Custo elevado (varia de acordo com o óleo)

Baixo custo

Vendidos em frasco de vidro (âmbar ou azul)

Podem ser vendidos em frascos de plástico

 

Saiba o nome científico da planta que você quer adquirir. Isso evita que você compre um óleo essencial de uma planta pensando que é outra. 

Saber escolher os óleos essenciais é muito importante. Deve-se considerar as necessidades individuais de cada pessoa. 

Atenção! Os óleos essenciais possuem contra-indicações:

  • Óleos essenciais contra-indicados para quem sofre de hipertensão e epilepsia: Alecrim, Tomilho, Canela, Cravo, Hortelã-pimenta, Gengibre.
  • Os óleos essenciais são contraindicados durante a gravidez.
  • Cuidados especiais com lactantes, bebês, crianças e idosos (use em menor concentração).
  • Óleos essenciais irritantes da pele: Cravo, Canela, Lemongrass, Gengibre, Hortelã-pimenta, Limão, Manjericão (aumentar a diluição).
  • Não é indicado se expor ao sol ao utilizar óleos cítricos, pois são fotossensibilizantes (Citronela, Grapefruit, Laranja, Limão, Tangerina e Bergamota).
  • Se tiver tomando remédios homeopáticos, consulte seu médico antes de usar os óleos essenciais. Evitar óleos essenciais ricos em menta ou cânfora.
  • Devido à sua alta concentração, não use-os puros sobre a pele, com exceção de Lavanda e Tea tree que podem ser usados puro na pele. 
Anúncios

Óleo Essencial de Lavanda

imagesA lavanda é calmante, equilibradora das emoções (ou seja, acalma e anima, regulando o sistema nervoso), é antiinflamatória e cicatrizante.

Dentre as muitas propriedades do óleo essencial de lavanda, a mais célebre é a sua ação curativa sobre as queimaduras.

Ela também é excelente contra dores de cabeça, sobretudo quando usada no início da dor.

Esse óleo essencial tão popular é encontrado na maioria dos produtos aromaterápicos para pele, por causa de sua propriedade equilibrante, que beneficia tanto a pele seca quanto oleosa, fazendo com que a pele retome sua normalidade.

Para casos de insônia, por exemplo, é aconselhável pingar uma gota do óleo essencial de lavanda no travesseiro, e o aroma ajudará a equilibrar e a restaurar o sono.

Em casos de queimaduras, feridas, furúnculos e outros problemas associados à pele, deve-se pingar o óleo essencial diretamente na pele, ajudando a restaurar o equilíbrio da mesma.

Já em casos de estresse, ansiedade e desânimo, pode-se pingar uma gotinha do óleo essencial nas têmporas, ou pulsos, e o aroma ajudará a restabelecer as emoções, de forma suave, a fim de recuperar a saúde emocional.

A melhor lavanda do mundo é a francesa. Ao contrário do que muita gente pensa, as maravilhosas flores roxas que predominam as partes mais baixas da França não são da lavanda propriamente dita. Na verdade, essas flores são da lavandinha (Lavandula X intermedia), que resulta de um cruzamento entre a lavanda verdadeira (Lavandula angustifolia) e a Lavandula spica; além de essa última possuir um aroma mais próximo da cânfora, ela é bem maior e produz também uma quantidade maior de óleo essencial. E digo isso porque alguns óleos disponíveis no mercado são de lavandinha; portanto, se você quiser a lavanda verdadeira, verifique o rótulo e veja se está escrito Lavandula angustifolia.

Fonte: PRICE, S. Aromaterapia e as emoções: como usar óleos essenciais para equilibrar o corpo e a mente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. 322p.

Distúrbios do Sono

Fundamental para as funções biológicas, o sono é um estado em que a nossa consciência diminui espontaneamente e passamos a reagir menos aos estímulos externos.

Os distúrbios do sono podem ser: sonolência excessiva, sonambulismo, terror noturno, ronco, apnéia e insônia.

Sonolência excessiva é incomum e pode estar relacionada a alterações metabólicas como desidratação e diabetes.

Já o sonambulismo e o terror noturno são distúrbios mais frequentes na infância, e na maioria das vezes estão relacionados à emoção.

O ronco e a apnéia estão associados à obesidade. No ronco excessivo, a pessoa acorda com o próprio barulho, e na apnéia ocorrem curtas pausas na respiração durante o sono, o que acaba prejudicando a qualidade do mesmo. Nos dois casos, quando associados à obesidade, é importante perder peso e evitar dormir de barriga para cima.

A insônia é uma situação muito frequente, e o diagnóstico correto é fundamental na escolha da terapia. Caracteriza-se pela dificuldade para dormir, tanto no que diz respeito ao inicio do sono como também a duração, propiciando uma sensação de noite mal dormida com cansaço ao acordar.

A insônia que persiste por mais de três semanas é denominada crônica. Ela pode surgir a partir de determinados hábitos como: horário irregular para dormir, uso abusivo de café, tabagismo, alcoolismo, entre outros. Na grande maioria dos casos a insônia também está relacionada a distúrbios psíquicos como a depressão, ansiedade, angústia ou estresse.

Os distúrbios do sono podem gerar irritabilidade, dificuldade de relacionamento social e de concentração, e diminuição da libido. Sem falar nas doenças que podem ter o risco aumentado com a insônia, como infarto, obesidade, diabetes, arritmias e hipertensão arterial.

Alguns cuidados são muito importantes para se ter um bom sono:

  • Praticar exercício fisico regularmente;
  • Comer alimentos leves antes de dormir;
  • Seguir o mesmo horário para dormir e acordar todos os dias;
  • Evitar dormir mais que o necessário;
  • Estar relaxado e traquilo ao ir dormir;
  • Tomar um banho quente antes de deitar;
  • Evitar bebidas estimulantes (café, álcool, chá mate) e fumo.

A utilização das plantas medicinais com ação calmante pode ser útil no tratamento dos distúrbios do sono, lembrando que a orientação de um profissional é fundamental para a realização de um tratamento adequado para cada caso. Algumas plantas medicinais que podem ser utilizadas, na forma de chás, tinturas ou cápsulas, são: a Valeriana (Valeriana officinalis), o Maracujá (Passiflora incarnata), a Erva-Cidreira (Cymbopogon citratus), a Melissa (Melissa officinalis), a Falsa-Melissa (Lippia alba), entre outros.

Na Aromaterapia o óleo essencial de Lavanda (Lavandula officinalis) é muito eficaz para insônia. Use-o através do aromatizador de ambiente, aromatizador pessoal ou ainda pingando duas gotas no travesseiro. Outros óleos essenciais úteis em casos de insônia são Ylang-ylang (Cananga odorata), Manjerona (Origanum majorana) ou Bergamota (Citrus bergamia).

Os Florais de Bach também podem ser úteis no tratamento, um exemplo é o floral Rescue Sleep, criado para tratar os distúrbios do sono, especialmente aqueles que são resultantes do estresse.