Reflexologia

Cada área ou função do corpo é representada por um ponto reflexo correspondente nas extremidades, principalmente os pés, que contêm feixes de terminais nervosos ultra-sensíveis. Ao estimular esses pontos, a reflexologia liberta a tensão, elimina bloqueios e ajuda o corpo a combater inúmeras disfunções. Compreender que os pés são um “mapa” do corpo inteiro é fundamental para a reflexologia.

Os pés refletem por inteiro nosso estado de saúde. Dotados de 26 ossos, 100 ligamentos, 20 músculos e uma intricada rede de nervos e vasos sanguíneos, os pés podem nos fornecer abundante informação sobre nossa saúde física, metal e emocional.

Do mesmo modo, a forma como tratamos nossos pés influencia não apenas o seu próprio desempenho como o funcionamento geral do corpo e da mente.

Trabalhando nos pontos reflexos dos pés, é possível estimular, por intermédio dos canais nervosos, qualquer órgão, função ou parte do corpo que esteja tensa, congestionada ou comprometida. Se eliminarmos a tensão, ajudamos o sistema a desvencilhar-se de toxinas quando necessário, reduzimos a dor e estimulamos o corpo a curar-se por si mesmo.

A pressão, aplicada nos pontos reflexos sensíveis dos pés, constitui um estímulo, que funciona como agente ou fator capaz de suscitar uma reação nos tecidos e induzir uma reação fisiológica.

Na reflexologia o estímulo, por contato ou pressão, desencadeia um impulso eletroquímico que altera os processos nervosos, transmitindo uma mensagem por meio das fibras nervosas. Os impulsos nervosos podem viajar a uma velocidade média de 435 km por hora. Pode-se dizer que o nosso corpo é, basicamente, uma usina eletroquímica em funcionamento dia e noite.

Pontos reflexos também são encontrados em outras extremidades do corpo: por exemplo, mãos e orelha. No entanto, a sensibilidade dos pés (que contém mais de sete mil terminais nervosos) e seu tamanho tornam-nos a área ideal para o trabalho da reflexoterapia.

Fonte: Guillanders, Ann. Guia completo de reflexoterapia: todo conhecimento necessário para adquirir competência profissional. São Paulo: Pensamento, 2008.

Anúncios

Auriculoterapia

A orelha, por ter sua anatomia diferenciada, é uma das partes do corpo humano que tem interligação com as demais, ou seja, qualquer estímulo nesta região irá refletir em outra parte específica do corpo. Por isso a Auriculoterapia ou Acupuntura Auricular, uma técnica milenar surgida na China, é uma das maneiras mais eficazes para tratar todas as disfunções de ordem física ou emocional, por meio do pavilhão auricular.

A técnica consiste na aplicação em pontos específicos da orelha de materiais como agulhas semi-permanentes auriculares, esferas de metal ou cristal, sementes de mostarda e micro-magnetos.

As dores musculares e articulares, transtornos funcionais viscerais e todas as desordens emocionais, como o estresse, surtos de ansiedade e processos depressivos são tratados pela Auriculoterapia.

A Auriculoterapia pode ser feita em qualquer idade, desde recém-nascidos até em idosos, de ambos os sexos, incluindo gestantes. Não tem contra-indicação, apenas necessita que o profissional seja capacitado e devidamente preparado para atuar com a prática.

Reflexologia: uma excelente forma de promover a saúde do seu bebê!

A reflexologia é a terapia que utiliza a massagem em pontos dos pés e das mãos, a fim de equilibrar as funções do nosso organismo.

Os benefícios terapêuticos e agradáveis da massagem dos pés e das mãos são reconhecidos há muito tempo. Sabe-se que há 5.000 anos, na China, aplicava-se massagem nos pés por compressão.

A reflexologia ganhou força na América no início do século XIX, quando o Dr. William Fitzgerald desenvolveu a “teoria por zonas”, na qual os pés e as mãos são divididas em partes correspondentes aos órgãos, glândulas e músculos do corpo. Essa teoria inspirou a fisioterapeuta Eunice Ingham à elaboração dos mapas dos pés utilizados hoje pela reflexologia.

Essa terapia pode estimular a energia curativa natural da criança, em momentos de crise, ou ainda como prevenção de doenças. A maioria dos bebês não nasce assustada, tímida ou nervosa. Chegam ao mundo livres de desgastes emocionais que, cedo ou tarde, acabam afetando a todos. Assim, a força vital no recém – nascido costuma fluir sem qualquer restrição. Os bebês são extremamente sensíveis a sons, temperaturas e, obviamente, ao toque.

Use a reflexologia desde cedo, proporcionando uma vida saudável aos seus filhos. As crianças que crescem tendo a reflexologia como parte da vida familiar diária terão bem mais resistência a males comuns como tosse, resfriado e problemas gástricos. Mais do que isso, a constante demonstração de carinho por parte dos membros da família ajuda a desenvolver a auto-estima e a autoconfiança, bem como o respeito às necessidades alheias.

Nada é mais angustiante para um pai ou uma mãe do que ver o bebê sofrendo – sem um motivo aparente. Para os choros mais comuns, normalmente problemas digestivos e dentição, a reflexologia é uma forma de tratamento eficaz e inofensiva que pode ser aplicada para garantir alívio ao bebê (e aos pais).

Os bebês e crianças pequenas reagem prontamente à reflexologia. Não só sua força vital é extremamente poderos; suas funções orgânicas também estão perfeitas. Os obstáculos à cura, presentes em muitos adultos devido aos efeitos prejudiciais da exposição a poluentes, uso prolongado de medicamentos ou dieta inadequada, não existem em corpos muito juvenis. Abraçar, acariciar e cuidar do bebê são expressões naturais de alegria por seu bem-estar, um ponto essencial no desenvolvimento do vínculo afetivo.

Em alguns lugares, a massagem total no bebê é parte diária da rotina de muitas mães. Se a reflexologia dos pés se tornar prática comum na vida do bebê, passando-lhe afeto e segurança, ele logo começará a adorá-la.

O pé do bebê é tão pequeno que o trabalho com o polegar ou os outros dedos sobre a sola leva pouquíssimo tempo, a pressão aplicada deve ser leve e delicada, pois a área é sensível e os pés ainda não estão completamente desenvolvidos. Cada pé deve ser trabalhado, por aproximadamente, 5 minutos e é perfeitamente seguro repetir a rotina de hora em hora, se necessário, até o bebê se acalmar e dormir.

Algumas questões que podem ser tratadas e prevenidas com a reflexologia: aliviar traumas de nascimento (se o parto foi demorado, ou o bebê foi retirado com auxílio de fórceps), acalmar cólicas, aliviar o desconforto e a irritação da dentição, diminuir alergias, prisão de ventre, dor de ouvido, problemas na garganta, entre outros.

Fonte: GILLANDERS, A. O Guia familiar para a reflexologia. São Paulo: Manole, 1999. 143p.

Reflexoterapia

A Reflexologia significa literalmente estudos dos reflexos, ou seja, a ciência que estuda os efeitos reflexos no organismo humano. É uma ciência porque se baseia no estudo fisiológico e neurológico, mas é também uma arte porque depende da habilidade com que o terapeuta aplica o seu conhecimento.

Neste estudo sobre os reflexos, além da Reflexologia podal e manual, se encaixam também outras técnicas como auriculoterapia (reflexos das orelhas), iridologia (reflexo da íris) e a quiropraxia (reflexo da coluna).

Seu desenvolvimento demonstrou que existem regiões no corpo (plexos nervosos) que têm ligação claramente determinada com os órgãos, sistemas e estados emocionais. Plexos nervosos são concentrações de terminações nervosas interligadas em uma área específica. Quando estimuladas corretamente, enviam e recebem informações dos órgãos a que são ligados, restabelecendo o seu funcionamento ideal e, por conseqüência, a saúde integral do organismo. 

 Reflexoterapia é a aplicação da Reflexologia, embora às vezes erroneamente confundida com massagens nos pés, é a técnica capaz de avaliar e tratar distúrbios físicos e emocionais por meio de estímulos nos plexos nervosos relacionados aos órgãos, sistemas ou estados emocionais.

Como método de avaliação, a Reflexoterapia mostra quais partes do corpo ou sistemas estão em desequilíbrio, possibilitando, então, o tratamento apropriado para que o corpo retorne a homeostase. Permite também que problemas de saúde possam ser detectados precocemente prevenindo o desenvolvimento de sintomas mais sérios.

A Reflexoterapia não cura – somente o corpo é capaz de fazê-lo, mas estimula a capacidade que o corpo possui para alcançar o equilíbrio, pela ação de suas forças curativas.

Quando as áreas reflexas são estimuladas, aumenta a circulação sanguínea para a região correspondente do corpo, melhorando o transporte de oxigênio e nutrientes para as células e facilitando a eliminação de toxinas.

Um grande benefício proporcionado por essa terapia é a estimulação de endorfinas, substâncias responsáveis pelo alívio da dor, bem-estar e relaxamento.

A Reflexoterapia é uma terapia simples, confortável e natural; eficaz para manter a saúde integral, além de tratar e prevenir o aparecimento de diversas doenças.